Touro Candil: Bandido e Encantado

Surgiu em meados de 2005 como um resgate da cultura murtinhense e já se tornou uma grande apresentação conhecida nacionalmente. A lenda do Touro Candil nasceu de uma lenda do Paraguai e foi adaptada para o Brasil, onde dois touros através de duelos culturais na arena disputam a legítima paternidade do famoso Touro Candil.

O projeto sociocultural Touro Candil reúne cerca de 90 adolescentes com idade entre 12 e 18 anos, para mostrar através da dança e da encenação traços da cultura murtinhense. Os jovens participam de todas as etapas de produção do Touro Candil, inclusive a criação do figurino.

A disputa acontece entre o Touro Bandido, representado pela cor verde, e o Touro Encantado, identificado pela cor amarela, em uma grande brincadeira com muita música e dança, impressionando a platéia pelo misto de religiosidade, colorido, brilho das fantasias e mágico desempenho dos participantes. Valorizando a religiosidade do povo da fronteira com o Paraguai, é feito uma homenagem à Nossa Senhora de Caacupê, padroeira do país vizinho e patrona de Porto Murtinho,ainda são reverenciados o negro, o Índio, o Barão da Fazenda e também o mito do encantamento que deu origem ao folclore.

A apresentação do Touro Candil foi eleita uma das melhores manifestações culturais de Mato Grosso do Sul. Em outubro de 2009 o grupo abriu o jogo do Brasil x Venezuela no Estádio Morenão em Campo Grande, na última etapa das eliminatórias da Copa do Mundo e em 2010 representou o Mato Grosso do Sul durante o Salão Internacional de Turismo de São Paulo.