18 C
Porto Murtinho
quarta-feira, 29 de maio de 2024

Atrativos Históricos e Culturais

Castelinho

Construído por Thomaz Herrera, entre 1905 e 1914, quando foi interrompida em função da 1ª Guerra Mundial. Thomaz Herrera mandou construir o prédio em estilo europeu para receber sua amada Virgínia, sobrinha de um imperador austríaco. O material da construção foi importado da Europa, incluindo instalações inexistentes na região, como água encanada e energia elétrica.

Thomaz Herrera era um grande comerciante espanhol, porém, com a chegada da guerra e a recessão, seu comércio abriu falência. Mudou-se para Concepción, Paraguai, quando Celso Teixeira Codorniz (pai do atual morador) adquiriu o imóvel. A torre do edifício tem características medievais inglesas, com tijolos maciços aparelhados revestidos por um determinado tipo de reboco inexistente na região. Foram utilizados materiais como mármore de Carrara e vitral francês. O leito do casal veio da Espanha.

Localização:
Rua Dr. Corrêa, 464, centro.

Edifício Jorge Abrão

Antigamente denominado Prefeitura Cuê – que tem o significado de Prefeitura Velha – foi construído entre 1920 e 1922, pelo uruguaio José Grosso Ledesma, para ser a Prefeitura do município. Em 2005, após revitalização, voltou a abrigar o Paço Municipal.

O edifício retrata o poder econômico da época no município, período de grande desenvolvimento econômico e cultural para o Estado. Na década de 1980, o prédio quase foi destruído por conta das obras do dique que circunda a cidade. A edificação é isolada em dois pavimentos, simétrica, planta em U. fundação e alvenaria estrutural de tijolo maciço e concreto revestidos de argamassa, aberturas com quadros e vedos de madeira, telhas de barro e piso de madeira.

Localização:
Rua Cel. Pedro Celestino, centro.

Escola Nossa Senhora Imaculada Conceição

Antigo Colégio Nossa Senhora das Graças – atual escola profissionalizante foi construído por Timóteo Raquel e, posteriormente, ampliado pela Cooperativa Florestal Brasileira S/A. Em 1950, foi fundada a Congregação das Franciscanas da Imaculada Conceição de Maria de Bonlanden que assumiu a direção do colégio.

Possui edificação acantonada, alvenaria estrutural de tijolo maciço com revestimento de argamassa, forro em estuque e cobertura com estrutura de madeira e telhas de barro. O último ano letivo do Colégio foi em 1977, permanecendo desocupada até 1982, quando serviu de abrigo provisório para vinte famílias durante a enchente do Rio Paraguai. Atualmente o prédio pertence à Paróquia Sagrado Coração de Jesus, porém é cedido à Prefeitura Municipal para a realização de Projetos e Programas Sociais.

Localização:
Rua Dr. Costa Marques esq. c/ Rua Alfredo Pinto, s/nº – centro.

Paróquia Sagrado Coração de Jesus

Foi fundada em 04 de abril de 1924, inicialmente atendida pelos membros da Cúria da Diocese dos franciscanos de Corumbá. A Matriz foi solenemente inaugurada em primeiro de janeiro de 1939. Em 27 de setembro de 1940 voltou aos cuidados dos padres franciscanos que executaram reforma em 1953, deixando-o com a configuração atual, inspirada no ecletismo.

Localização:
Rua 13 de Maio, 385, centro.

Trenzinho

Também denominada antiga Locomotiva, foi utilizado para transporte da erva-mate, do quilômetro 18 até o depósito na barranca do Rio Paraguai, onde se encontra o prédio do Cine Teatro Murtinhense. Hoje, é a representação simbólica do Ciclo da Erva-Mate e encontra-se na praça central Thomaz Laranjeira.

Localização:
Praça Thomaz Laranjeira, centro

Edificação Irene Riberiro

Construída por Ubaldino Pereira da Cruz Sobrinho, agente da Bacia do Prata, provavelmente à época da antiga prefeitura (década de 20). Em 1979 abrigou o cartório do 1° ofício.  Embasamento em soco com abertura e degrau.

Corpo com aberturas de portas em arco pleno com moldura de arquivolta, bandeiras em leque. Coroamento composto por arquitrave, friso liso, cornija e muro de aço com balaustrada e platibanda intercaladas. Inspiração no ecletismo. Edificação acentuada com fundação e alvenaria estrutural de tijolo maciço com revestimento de argamassa. Cobertura com estrutura de madeira e telhas de barro.

Localização:
Rua Cel. Pedro Celestino, centro.

Edificação Ismail Ali Alouie

Erigida entre 1910 e 1920 por Vitor Portilho Lacrosta. Sediou a Cooperativa dos Industriários Murtinhenses, composta por sócios da Cooperativa Florestal Brasileira S/A e posteriormente pertenceu a Vitor Armando Santo e Silva. Atualmente integra o espólio de Ismail Ali Alouie.

Embasamento em soco com aberturas degraus. Corpo com aberturas retangulares de portais com moldura de verga em volutas. Coroamento com arquitrave, friso liso, cornija e muro de atiço em platibanda. De inspiração eclética.

Localização:
Rua Dr. Corrêa, centro.

Edificação Rafael Cortada Codorniz

Edificada aproximadamente em 1905, sob as ordens de Manoel Vidal para abrigar o Hotel Continental. Posteriormente foi pousada, comércio, bicicletaria e açougue, quando foi adquirida por Celso Teixeira Codorniz.

Atualmente pertence a seu filho Rafael Cortada Codorniz, com uso comercial e residencial. Embasamento em dado com pequenos pedestais para pilastras emparelhadas com moldura no fuste e capitel em inspiração coríntia. Aberturas retangulares de portas e janelas emolduradas, encimadas por molduras de sobreverga. Coroamento com arquitrave, friso, cornija e muro de ático em platibanda com arremate de coroamento de vasos, alinhados às pilastras. Inspiração no ecletismo.

Localização:
Rua Dr. Correa, centro.

Edificação Nelson Cintra Ribeiro

Inicialmente, no local existia uma oficina de ferraria que servia para construir as alças primas que na época eram utilizadas para transportar a Erva (Ciclo da Erva-Mate) e mais tarde no transporte da madeira Quebracho (Ciclo do Tanino).

O prédio foi construído na década de 30 e segue a linha da maioria das construções da cidade utilizando o tijolo maciço revestido com argamassa, estrutura de metal e vidro nas janelas e portas e cobertura com estrutura de madeira e telhas de barro. Construção que também é resultado das épocas prósperas dos ciclos econômicos que marcaram o desenvolvimento de Porto Murtinho.

Localização:
Av. Rio Branco, s/n°, centro.

Edificação Celso Teixeira Codorniz

Edificada na década de 30 por Celso Teixeira Codorniz para uso residencial. Atualmente pertence a seu filho Rafael Cortada Codorniz. Corpo em trama de pilastras emparelhadas com apliques de ornamentação. Aberturas retangulares de portal central e janelas laterais, arremate em cimalha de telha e aberturas com quadro e vedos de madeira, vidro e metal.

Localização:
Rua Dr. Correa, centro.

Edificação Sindicato Rural Patronal

Construída aproximadamente em 1892, sob as ordens de Mário Mendes. Posteriormente pertenceu aos irmãos René e Oswaldo Mendes Gonçalves que venderam a Moacyr Ayub.

Atualmente é a sede do Sindicato Rural Patronal de Porto Murtinho. Corpo originalmente sem revestimento, com tijolos aparentes, aberturas retangulares de portas e janelas com faixa curva em sobrearco. Coroamento com frontão triangular e aparelho de tacos prismáticos. Edificação isolada. Fundação e alvenaria estrutural de tijolo maciço, quadros e vedos de madeira e vidro. Cobertura com estrutura de madeira e zinco.

Localização:
Rua Cap. Cantalice, 435, Bairro Florestal.

Cine-Teatro Murtinhense Ney Machado Mesquita

Construído no período de colonização do município de Porto Murtinho, servia como depósito da erva-mate que era extraída da região sul do estado e transportada através do porto de embarque da cidade.
Posteriormente, no local funcionou o Cinema. Hoje, após restauração, abriga um Anfiteatro onde são realizados eventos de pequeno e médio porte. Localizado às margens do Rio Paraguai – o Cine Teatro possibilita aos visitantes uma belíssima vista da natureza pantaneira.

Localização:
Rua Cel. Pedro Celestino, centro.

Chaminé Florestal Brasileira

As ruínas retratam o período do Ciclo do Tanino. Da madeira quebracho, muito abundante na região, extraía-se a matéria-prima do tanino – substância essa utilizada na fabricação de produtos químicos e curtição do couro e tecidos – muito requisitada em países da Europa. Tal descoberta levou a criação da Florestal Brasileira S/A com o objetivo de fazer a industrialização desse produto. Em Porto Murtinho chegaram a ser instaladas duas fábricas de tanino: A Florestal Brasileira e a Quebracho Brasil que juntas empregam cerca de 2.800 trabalhadores desde o processo de extração até o de industrialização desse material.

Monumento “O Pantanal” – Praça Dos Tuiuiús

Homenagem ao Santuário Ecológico considerado pela UNESCO Patrimônio Natural e Reserva da Biosfera e um dos mais importantes ecossistemas mundiais com aproximadamente 250 mil km² de extensão. Engloba os Estados Brasileiros de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e os Países sul-americanos Paraguai e Bolívia.

Localização:
Rua Cel. Pedro Celestino às margens do Rio Paraguai, centro.

Praça do Tereré

Local de lazer localizado na Beira do Rio Paraguai. Recebeu este nome pelo hábito da comunidade tomar a bebida denominada tereré, feita de erva-mate. No centro da Praça existe uma guampa grande simbolizando a bebida e um bebedouro para atender aqueles que desejam experimentá-la.

Localização:
Rua Cel. Pedro Celestino, centro.

Monumento “Touro Candil”

É uma Manifestação Cultural influenciada pelo folclore da região de fronteira com mais de 100 anos de tradição, que envolve a Crença Religiosa na Virgem de Caacupê, Danças e Brincadeiras Típicas, além da disputa entre os Touros para coroar àquele que verdadeiramente possui suas origens ligadas ao grandioso Touro Candil.

Localização:
Av. Laranjeira às Margens do Rio Paraguai, centro.

Monumento “O Pioneiro”

Homenagem aos colonizadores de Porto Murtinho que contribuíram para a formação e o desenvolvimento da cidade e marcaram época construindo a história do município. São eles imigrantes vindos de todo o então Estado de Mato Grosso, Comerciantes atraídos pela prosperidade que se desenhava naquele momento, Gaúchos e Paraguaios atraídos pelo cultivo, manejo e exportação da erva-mate e Uruguaios e Alemães, no período econômico do Ciclo do Charque e do Tanino, que originaram a arquitetura e trouxeram os avanços tecnológicos da época.

Localização:
Av. Laranjeira em frente ao Pólo Universitário, centro.

Monumento ao Chalaneiro

A Chalana é uma pequena embarcação movida a remo que aproxima brasileiros e paraguaios da região de Fronteira. Conduzida por homens, mulheres e crianças num eterno vai e vem, garante a sobrevivência de muitas famílias dos dois países. Essa é uma singela homenagem aos heróis do rio que fazem da arte de flutuar sobre as águas um ganho digno para o sustento familiar.

Localização:
Av. Rio Branco, s/n°, centro.

Monumento ao Lenhador

O Ciclo do Tanino movimentou um batalhão de carroceiros conhecidos como LENHADORES. Após derrubar com o machado, cortar em toras e rachar, o LENHADOR carregava numa carroça, puxada por cavalos e transportava até a cidade onde era vendida. Um pequeno chacareiro tinha na venda da racha sua principal fonte de renda.

Hoje, apesar do uso comum do gás e da eletricidade, algumas famílias tradicionais de Porto Murtinho, não abrem mão do uso de uma boa lenha na churrasqueira ou no fogão a lenha.

Localização:
Av. Rio Branco, s/n°, centro.

Monumento ao Aguatero

Homenagem ao criativo e honrado trabalhador conhecido como AGUATERO que soube fazer proveito das águas do rio Paraguai para sustentar sua família.Com apenas um jumento, uma carroça, um tambor e um latão o nobre AGUATERO fez do hábito de vender água à comunidade uma profissão para criar seus filhos com honestidade.

Hoje, com a chegada do Progresso, tudo se transformou e vivemos a era da tecnologia, da informação, da permissividade e da crise de identidade. Portanto, nada mais oportuno que recontar a história, através dos monumentos, homenageando a figura do AGUATERO.

Localização:
Av. Rio Branco, s/n°, centro.

Monumento ao Pescador

Homenagem aos amantes da Pesca – pescadores locais, turistas e visitantes – que todos os anos encontram em Porto Murtinho um verdadeiro paraíso da natureza que é banhado pelas águas do imponente Rio Paraguai e cercado de belezas naturais, históricas e culturais de uma região peculiar na fronteira do Brasil com o Paraguai.

Localização:
BR 267 – na entrada da cidade.

Mastro

O maior Mastro de Mato Grosso do Sul fica no município de Porto Murtinho, às margens do Rio Paraguai, localizado na fronteira do Brasil com o Paraguai.

Mais informações

Entre em contato com a Secretaria de Turismo.